Pinterest

terça-feira, 14 de setembro de 2010

14 de setembro

Hoje eu estava almoçando no trabalho e assistindo "LA Ink". Para quem não conhece, é um programa muito legal de tatuagens que passa no canal Liv, a cabo. Sempre tem desenhos e idéias legais, mas um ponto em comum com os outros programas similares (Miami Ink, por exemplo) é que sempre tem tatuagens tristes: feitas para homenagear gente que já morreu, tragédias americanas... enfim, mais do mesmo.

E aí, hoje, uma moça fazia uma tatuagem grande e bonita de garça (não, eu não faria) para homenagear a amizade com sua melhor amiga. No meio do desenho, ela fala que a amiga tem Linfoma de Não-Hodgkin pela segunda vez, que da primeira ela ficou 2 anos de cama, e que por isso ela resolveu não tratar mais e simplesmente viver. Claro que as pessoas do estúdio de tattoo ficaram chocadas, mas a moça não se abateu. Na sequência, a amiga chegou para ver o presente surpresa e assinar a tattoo, e ela ficou bastante emocionada com a homenagem.

De tudo isso eu tiro duas coisas:

1) amizade e amor são tudo na vida.

2) porque alguém desiste de tratamento? A moça era nova, com aparência saudável e tudo mais. Será que não compensava mesmo fazer o tratamento e ter a oportunidade de viver mais? Será que era mais fácil mesmo deixar como está, viver bem (até quando, doutores, me digam!) até definhar e terminar assim?

Desistir nunca foi uma opção. E olha que meu Hodgkin era nível 4, foram 16 sessões de quimio... Sei que as pessoas reagem de formas diferentes ao tratamento, sei que Hodgkin é diferente de Não-Hodgkin, mas vejo também tantos exemplos entre os seguidores deste blog, de gente que não desistiu, que questiono bravamente essa moça americana e esse posicionamento.

Só pra arrematar: a quem interessar possa, estou ótima. Agora até sem port a cath! Tudo de bom e saúde a todos!

Juliana

6 comentários:

Anônimo disse...

oii estava fazendo uma pesquisa encontrei um blog e cheguei no teu.
Como estao as coisas por agora com vc, espero que bem... mantenha atualizado o blog ...
Forcas e melhoras!!!
dani

Anônimo disse...

Oiii ju, esta tudo bem com vc??? atualize o blog!!!
um beijo
dani

libania disse...

Viva!
Passei pelo teu cantinho e venho desejar muitas felicidades!
bj

Fernanda disse...

Oi Juliana..ví teu blog e me interessei muito. Estou com Linfoma de hodgkin ..já fiz 5 quimios e estou na batalha pela cura. Por favor, atualize teu blog..é muito importante para pessoas como eu..que ainda estão passando por essa fase chata da doença. Me identifiquei muito com teu blog. Abs, Fernanda Roig

Anônimo disse...

Juliana, parabéns pelo blog. Também em Julho/09 fui diagnosticado com linfoma de Hodgkin e passei por 12 quimios no CPO e tratamento com a Dra.Mariana Oliveira tambem. Em toda consulta menciona seu blog que ajudou-me muito em todo esse periodo a entender as fases do tratamento, da analise dos exames e a superar tudo. Graças a Deus estou bem e já num periodo de avaliaçao a cada 3 meses e nao vejo tambem a hora de livrar-me do portocath. Mas valeu muito o seu blog. Muito obrigado, fique com Deus e seja muito feliz.
Waldemir

Rogério Delgadinho disse...

Realmente existe opções na vida!

A pessoa em questão não queria mais viver, é triste mas temos que respeitar, talvez ela tivesse medo do futuro de sofrer, de apenas melhorar e depois falecer, mas temos que aceitar as decisões.

Entendi sua argumentação e achei sem sombra de duvidas a mais certa, lutar até o fim seja um fim bom ou ruim.

O Câncer é uma doença que muda o padrão de pensamento das pessoas e isso ele consegue fazer como ninguém, conheço algumas pessoas que ficaram mais otimistas e outras que ficaram mais solitárias outras mais agressivas e com raiva de viver e com medo do futuro de terem outro câncer.

Ninguém garante nada na vida!